LOADING...
Saúde mental na era do trabalho flexível
07 jun

Saúde mental na era do trabalho flexível

A manutenção da Saúde mental é uma das pautas mais importantes e recorrentes da atualidade e o mercado de trabalho não fica fora dessa discussão. O trabalho é fundamental para autoestima, saúde mental e física do ser humano, o que significa que também pode ser a fonte para distúrbios psicológicos. 

 

Ter um trabalho que faz bem para saúde é o objetivo da maioria no mercado de trabalho. A busca por um ambiente saudável é também o desejo de trabalhar com propósito e motivação. A ciência já comprova a tese de que um trabalho flexível focado em entregas e não em carga horária é benéfica para saúde mental dos profissionais e aumenta a produtividade das empresas. 

 

A pesquisa da  Revisão Sistemática Cochrane, da Universidade de Durham, na Inglaterra, certificou que uma equipe com a capacidade de definir seus próprios horários e local de trabalho apresenta mais produtividade, resultados melhores e marcadores de saúde positivos, tanto na questão física quanto de saúde mental. 

 

No Brasil, 31% dos profissionais preferem um sistema de trabalho flexível e cada vez mais priorizam empresas com uma cultura organizacional que fomente um ambiente de trabalho saudável. Salários altos já não são mais o único objetivo de retorno esperado de um emprego. Os colaboradores requerem um ecossistema de trabalho em que tenham mais controle sobre a própria vida, onde sejam valorizados e que contribuam positivamente para o seu bem-estar e saúde mental. 

 

Saúde mental e trabalho

 

As consequências de problemas na saúde mental dos profissionais não são insignificantes ao mercado de trabalho. A cada 7 trabalhadores pelo menos 1 apresenta queixas quanto à saúde mental, segundo a Mental Health Foundation, afetando diretamente a performance e resultados das empresas.

 

A busca incessante por resultados acima de tudo traz consequências físicas e mentais para os colaboradores. A pesquisa da Fundação Instituto de Administração (FIA), no Brasil, aponta que 34% das empresas não se preocupam em realizar um acompanhamento da saúde mental de seus funcionários. Esses 34% também não oferecem nenhum tipo de apoio psicológico ou tolerância especial aos colaboradores com complicações mentais recorrentes do trabalho. Por outro lado, 66% das organizações brasileiras afirmam realizar algum tipo de pesquisa ou acompanhamento quando a saúde mental de seus contratados. Em reportagem, a CBN Saúde, apurou que somente 18% das empresas brasileiras oferecem programas relacionados à saúde mental dos colaboradores.

 

No Brasil, a ansiedade aparece como a principal queixa entre os trabalhadores. Nove a cada dez profissionais têm diagnóstico de ansiedade, em diferentes níveis. Já 47% apresentam sintomas de depressão, de acordo com a International Stress Management Association Brazil. Esses dados ficam ainda mais preocupantes se levarmos em conta as pesquisas realizadas pela Behup e FGV-EAESP

 

  • Estresse  – 53,8% 
  • Ansiedade – 60,3%  
  • Esgotamento – 59,7% 
  • Alteração de apetite – 49,8% 
  • Desmotivação –  34% 
  • Improdutividade – 36% 

 

Saúde mental e trabalho estão interligados. O trabalho pode causar e agravar problemas de saúde mental, mas também pode atuar como um mecanismo de apoio. Coisas como trabalho remoto, horários flexíveis e cronogramas reduzidos tendem a melhorar o bem-estar geral dos colaboradores. Os profissionais dedicam uma enorme quantidade de tempo, energia e foco no trabalho todos os dias. Oferecer flexibilidade reduz o conflito entre vidas pessoal e profissional, e equipa os colaboradores para atender melhor às suas necessidades mentais, emocionais e físicas. 

 

Trabalho Flexível

O modelo de trabalho flexível deixou de ser uma prática da moda ou apenas para profissionais autônomos para se tornar prioridade de escolha entre os profissionais, especialmente os mais qualificados.  Empresas de todos os portes também já entenderam que a mudança de cenário pode ser frutífera tanto para as suas relações quanto economicamente.  

 

A flexibilidade nas empresas reflete uma mudança cultural interna, se posicionando em estima ao colaborador e promovendo uma liberdade que resulta em mais produtividade e saúde mental equilibrada. Em um escala mais ampla essa jornada flexível atua auxiliando a redução do desemprego, expandindo o alcance profissional nas regiões remotas e criando um mercado mais qualificado. 

 

A redução ou alteração da jornada, assim como a mudança de ambiente, evita o esgotamento e afeta positivamente o sono, emoções negativas,a memória, a fadiga, a sonolência, e a exaustão. A flexibilidade no trabalho garante ao colaborador  autonomia sobre sua vida, e mais produtividade e lucro para as empresas. 

 

Empresas

 

A flexibilidade se prova eficaz também para as empresas, solidificando a imagem no mercado e atraindo talentos especializados. A adoção de um modelo flexível anuncia valorização, responsabilidade emocional,  inovação e investimento na equipe, criando um ecossistema propício para ser um “Great Place To Work”.

    • Reduz atrasos e faltas – funcionários têm menos faltas, licenças médicas e não se atrasam, já que o horário é flexível
    • Recrutamento e retenção de talentos a solidificação do employer branding atrai profissionais qualificados e cria pertencimento nos colaboradores afiliados  
    • Redução do turnover – mais bem-estar significa menos desejo em sair em mudar de emprego 
    • Mais engajamento – funcionários leais se tornam multiplicadores da cultura empresarial
    • Ampliação dos horários de atendimento – os horários flexíveis permitem a expansão do horário de cobertura dos clientes

 

  • Cumprimento da jornada dentro do horário, sem hora extra e  sem prejuízo do trabalho – uma vez que se pode trabalhar no horário mais adequado e produtivo se reduz também a necessidade de horas extras

 

 

 

  • Parceria entre empregador e empregado – valorização também é confiança e a criação de um laço emocional 

 

 

 

  • Responsabilidade e comprometimento fortalecidos – colaboradores com controle da sua rotina também assumem responsabilidade e comprometimento  quanto a prazos

 

 

  • Conhecimento real da demanda de trabalho – é possível ter uma visão clara das entregas e também do volume de trabalho 
  • Ausência de clima de competição entre funcionários – quando todos se sentem valorizados se fomenta respeito e não competição
  • Redução de custos com instalações físicas – flexibilidade significa menos colaboradores ao mesmo tempo na sede da empresa
  • Expansão geográfica – sem barreiras físicas pode-se recrutar talentos em qualquer lugar

Colaboradores

Apoiados na flexibilidade do trabalho, os profissionais ampliam suas áreas de escolha, o que aumenta a qualidade de vida, promove a resolução de problemas e pertencimento às organizações. Como consequência, o mercado ganha profissionais felizes, motivados, focados e com mais saúde mental.   

  • Qualidade de vida― permite definir  um melhor equilíbrio entre responsabilidades e necessidades, entre rotina de trabalho e sua vida pessoal
  • Motivação ― liberdade para escolher quando, onde e como trabalhar é mais satisfação e consequentemente mais motivação
  • Compromisso ― com mais benefícios cresce também o respeito e o senso de responsabilidade para com a empresa  
  • Redução de tempo desperdiçado ― sem a necessidade de deslocamento diário em horários específicos se reduz o tempo de “preparação” antes e após o trabalho
  • Redução de custos ― é possível optar por uma alimentação em casa e por meios de transporte alternativos que não tenha custo ou esse seja reduzido 
  • Autonomia –  criar a própria rotina é ter liberdade para viver de acordo com a sua vontade 
  • Menos riscos – a flexibilidade oferecer mais está mais segurança, seja financeiramente, no trabalho ou fisicamente 
  • Flexibilidade geográfica – trabalho flexível possibilita trabalhar para qualquer empresa onde quer que o profissional esteja 
  • Saúde mental e física – bem-estar e qualidade física resulta que saúde em dia

 

Conclusão 

O futuro do trabalho é a flexibilidade, e junto com ela vem o cuidado com a saúde mental dos profissionais. O trabalho flexível pede uma cultura empresarial mais ampla que abrace as necessidades de seus colaboradores e construa juntos a eles um ecossistema de confiança e valorização. São profissionais com liberdade para viver sem amarras e que escolhem ser parte de uma organização, resultando em uma força de trabalho que quer efetivamente produzir e inovar.  

A valorização, preocupação e zelo para com as condições de trabalho, saúde mental e bem-estar da equipe consolida empresas como um espaço de desejo. É no desejo ao pertencimento de mercado que se cria uma força de trabalho capacitada, produtiva e principalmente motivada a trabalhar e entregar cada vez mais. Flexibilidade significa organizações mais completas, econômicas, especializadas  e antes de tudo humanas.

Interessado em uma
Sala Privativa?
Receba mais detalhes e valores em seu e-mail!
Receber Proposta
close-link
Interessado em uma
Sala de Reunião?
Receba mais detalhes e valores em seu e-mail!
Receber Proposta
close-link
Interessado em nosso
espaço de eventos?
Receba mais detalhes e valores em seu e-mail!
Receber Proposta
close-link
Interessado em nosso
Endereço Comercial?
Receba mais detalhes e valores em seu e-mail!
Receber Proposta
close-link